Projectos

Por muito que goste de música, não consigo, não posso, nem quero esgotar-me nisso. Até porque considero que um músico que só se ocupe de música vive numa triste pobreza de espírito. Sempre fui curioso por outras coisas, antes e depois da música, e considero por isso um privilégio e um desafio pensar projectos que não estão directamente ligados à música. Interessa-me muito expandir-me no domínio da programação e não ponho de parte a certa altura continuar os meu caminho académico na área de estudos culturais.

Acredito que a experiência da cultura, arte e pensamento serão sempre as maiores salvadoras da humanidade, e por isso desejo dedicar-me a desígnios maiores do que apenas estudar partituras e falar de música, por mais fantástico que isso seja.

Por enquanto, para além do meu trabalho, vou na medida do possível dando asas às outras coisas de que gosto de fazer. 

Quem me conhece bem sabe que em mim mora um compositor reprimido, um estudante nato, um tradutor em potência, entre outras coisas. Quem sabe, talvez um dia...