Comunicação em contexto extra-musical

Perante o interesse que há na minha abordagem à música e como daí se podem extrapolar metáforas úteis em diversos contextos não musicais, tenho acedido a realizar algumas intervenções com diferentes conteúdos, sempre a partir dos exemplos que a música representa de forma mais eficaz.

Para além de ser libertador, como orador, poder utilizar a música enquanto processo e ilustração para outros campos de prática e pensamento, também verifico que é uma excelente ocasião para o contacto directo com um público que se revela regra geral curioso e interessado, e em quem é possível desta forma despertar interesse musical.

Ao contrário dos concertos ou cursos e workshops de música que vou dando com regularidade, este tipo de eventos surge-me sempre de forma espontânea e de onde menos espero. Os convites tanto podem chegar do mundo da banca, como empresarial ou até médico. Se foi com surpresa que transpus o papel do maestro para a sala de operações para um colóquio internacional de oftalmologia, foi com ainda maior espanto que me calhou abrir um painel internacional de medicina interna, falando logo após a Ministra da Saúde portuguesa.

Aconteceu em Lisboa no fim de agosto de 2019, e foi das last minute calls mais divertidas que já me calharam, por sentir que sou a carta fora do baralho que ninguém espera, o que aumenta em muito o impacto e alcance da minha mensagem.