2018

Em 2018 decidi que ao terminar o meu mestrado em Chicago, haveria de apresentar uma evolução dos cursos anteriores, com duas variações:

 

1ª - os novos haviam de passar a ter uma orquestra para culminar com uma “degustação” musical;

2ª - não me interessa mais contar sempre a mesma história, mas conceber um ciclo com diferentes temas, de forma a reflectir mais demorada e profundamente do que no decorrer de um dia apenas.

Em maio apresentei uma proposta à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, para que a Temporada de Música em São Roque passasse a incluir um ciclo de apreciação musical, que para minha enorme felicidade foi acolhida. 

Nasceu daí o ciclo “Ouvidos para a Música”, um programa paralelo aos concertos da temporada, composto por cinco encontros com vista ao enriquecimento do público da TMSR.

Brochura da 30ª TMSR, incluindo pela primeira vez um ciclo de apreciação musical, setembro de 2019

Tendo-me juntado ao MPMP - Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa no verão de 2018, para assumir, precisamente, os projectos educativos, deu-se a ocasião de poder juntar ambas as partes, o que resultou na participação do Ensemble MPMP nestes encontros.

Seguiu-se imediatamente ao fim do ciclo na TMSR o convite por parte da Fundação Calouste Gulbenkian para apresentar os meus primeiros guias de audição dos concertos de 26 e 27 de outubro, o que foi para mim um feliz regresso ao local onde em 2011 e 2012 tive a função de assistente de sala, dividindo a minha rotina entre os dois lados da Avenida de Berna: de um lado as aulas na FCSH - UNL, do outro os concertos.

Na primavera de 2018 fora também convidado pela Re.Food Belém a apresentar um curso de apreciação musical, cujas receitas reverteriam para a causa do combate ao desperdício alimentar. Pareceu-me uma ocasião excelente para testar pela primeira vez o modelo de intervenção com orquestra, pois aconteceu quatro dias antes do primeiro encontro com orquestra na TMSR. 

Apresentei então dia 29 de setembro na magnífica Sala D. Luiz do Palácio Nacional da Ajuda o programa “A música de portas abertas”, e esteve comigo o Ensemble MPMP.

A música de portas abertas, Lisboa, setembro de 2019

Seguiu-se ao ciclo na TMSR o convite por parte da WinWorld para integrar um painel com oradores de diferentes áreas numa conferência a realizar-se no Auditório Jerónimo Martins do Campus da Nova SBE, com o tema “The state of the art: 2019 and beyond”, em que cada orador falava sobre a sua área e como esta se projectava no futuro.

Foi-me dado o prazer de encerrar a conferência com a comunicação “The future comprises classical music and Netflix”, seguindo-se a performance, em estreia europeia, de Hell’s Kitchen do compositor norte-americano Robert Paterson. 

A minha intervenção teve o apoio da Fidelidade.

The future comprises classical music and Netflix, Carcavelos, dezembro de 2018